Red Dead Redemption 2 – Analise Sincera.

A exatamente oito anos, a Rockstar Games lançava nas lojas um game que rompia as estruturas costumeiras de suas franquias, através de um roteiro totalmente maduro  e gameplay densa ,estamos falando do primeiro Red Dead Redemption, que pegou muitos de surpresa e merecidamente ganhou como game do ano, mas sera que sua sequencia dá jus a seu antecessor?

Red Dead 2 tem um inicio calmo e sereno, personagens são apresentados de maneira lenta e progressiva, os desenvolvedores não tem pressa em desenvolver o ritmo do roteiro logo de cara, eles querem primeiro te apresentar aquele mundo e suas respectivas atividades e mecânicas, logo logo, ao jogador entrar em contato com o incrível e detalhado mundo aberto do game, tal escolha dos desenvolvedores se prova extremamente necessária.
cççc~c.png
Os detalhes são a cereja do bolo do game, nesse caso, talvez uma grande e bela melancia seria a comparação correta, pois não se trata apenas de detalhes físicos, como a forma realista e detalhada que a barba do Arthur se comporta em relação ao vento e sim em questão de interações sociais e com o ambiente.

A rockstar conseguiu desenvolver de forma primorosa uma deliciosa mistura de interação com o ambiente e com o que vive nele, isso ja é mostrado ao jogador ao visitarmos a primeira cidade do game.
O ambiente se comporta de maneira insanamente real, corpos deixados ao ar livre reagem se decompondo ou trazendo urubus, animais tem sua propia rotina dentro da cadeia alimentar, como peixes sendo lindamente levados por gaivotas, como num belo documentário do Animal Planet.
E em relação a interação social; as pessoas notam na forma que o Arthur se veste e principalmente do fato dele estar sujo ou bem limpo, isso também vale pro seu cavalo, mas jaja falamos dele.
Se você resolve fazer algo travesso na cidade, você pode conversar com o xerife e entrar em acordo com ele, porem, ao voltar na cidade as pessoas irão lembrar do que você fez; é assustador entrar no salloon e ver as pessoas comentando uma briga ou sobre algo que você participou a uns dias atras (isso vale não só pra missões principais, também pra eventos aleatórios causados por você).
Red Dead redemption é jogo que te conta historias das mais diversas maneiras possíveis, isso se prova quando cada npc da cidade tem seu propio script e rotina alá velho oeste, na duvida, siga qualquer um e poderá ver desde seu trabalho e até mesmo o propio visitando sua mãe falecia no cemitério ou mesmo trabalhando em uma construção e dando intervalos para seu vicio em álcool.
Ao andar de cavalo você recebera tanto elogios quanto xingamentos , dependendo do estado do  seu animal, e por falar o cavalo, a relação com o seu principal meio de transporte no jogo esta elevada ao quadrado, agora ele tem níveis e intimidade com o jogador que só aumentam ao você escová-lo e alimentá-lo.RedDead2_041_Preview-1814-1080.jpg
Detalhes como esse e como também o fato de que você ter que cuidar da sua arma ao longo de suas jornadas, limpando-a para ela não estragar, tornam a experiencia muito mais imersiva que ja é.
Você agora administra os suprimentos e afazeres da gangue Van Der Linde, doando verbas ou até mesmo comprando ou melhorando instalações da mesma, e por falar da gangue, as interações com a mesma são outro grande acerto dos desenvolvedores, detalhes de personagens não são só desenvolvidos em missões principais, um grande fato da vida de algum personagem pode ser dito pelo própio em meio a uma pescaria ou mesmo em meio a uma festa.922794
A luta corpo a corpo do game tem sua melhor forma aqui, desde GTA IV, você sente o golpe mesmo o bloqueando e a interação com o cenário entra ai como um grande adicional, não só em marcas no corpo como também na lama que gruda em seu corpo ao receber um grande soco que te derrubou na mesma.
Definitivamente vemos em Red Dead 2 o melhor e mais imersivo mundo aberto feito pela Rockstar até hoje, mas e o roteiro?

A primeira coisa a se dizer sobre a historia, não temos mais apenas um personagem para se desenvolver ao longo de toda a jornada como no primeiro, a principal proposta aqui, é o grupo e isso pode acarretar na impressão de que Arthur Morgan foi bem menos desenvolvido que Jhon Marston no primeiro, porem, isso depende muito do impeto do jogador em cavar mais coisas dentro do game, alem das missões principais.lçxxçççx

Sim, Arthur Morgan é um personagem muito bem desenvolvido e de formas bem ousadas, nunca antes usadas em personagens de jogos anteriores, vemos aqui um roteiro contado através de um aspecto da gameplay ou mesmo através do diário do solitário cowboy.

Em questão de personagens secundários, Dutch mostra uma jornada interessante através desenvolvimento tecnológico no velho oeste, logo, a extinção de fora da leis como todos da sua gangue.

É incrível ver como aos poucos os tempos de gloria da gangue vão se diluindo em relação a época e como eles vão ficando cada vez mais antiquados,  ver o Dutch reagindo a isso é um ponto forte do roteiro.

Como dito inicialmente , o roteiro é bem morno nos primeiros capítulos, porem, a partir de certo ponto, o ritmo se mantem firme até o final do arco, como muitas surpresas ousadas e tão maduras quanto a do primeiro game.
Obs: Para os que jogaram o primeiro na época, o final do game é incrivelmente compensador.

Mas nem tudo são flores, existem coisas que não foram muito bem desenvolvidas no game, que no fim das contas não atrapalham o resultado final, porem, ainda sim, deixaram um pouco a desejar;

Os duelos são bem menos desenvolvidos e mais raros que no primeiro game, você só participa de um raras vezes quando esbarra em alguém no salloon ou em uma missão secundaria, e quando se esta em um, o resultado é mais simples e menos divertido que no primeiro game.

O cenário da neve do game é muito bem feito, porem, se nenhuma utilidade ressalva algumas raras missões secundaria ou mesmo para enriquecer seu compendio, isso vale também pro mapa liberado no final do game.
uma-pessoa-na-neve-12145742307017.jpg

Tratasse aqui de uma relação jogador e desenvolvedor, onde o desenvolvedor esta sempre a um passo a frente do jogador, sempre suprindo a curiosidade do propio de forma compensativa;
Detalhes que você dificilmente  vera em outro jogo de outra empresa, desde um simples pinheiro com suas folhas cheias de neve, que caem quando se mexem ao você passar por elas , até um npc que reconhece que você roubou um chapéu dele.
Tornando assim a experiencia incrivelmente realista e dando cada vez mais vontade de participar daquele mundo vasto, onde você pode fazer o que quiser, no limite do velho oeste é claro.
Isso tudo com um roteiro denso e desenvolvido de forma criativa e funcional.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s